Sistema Respiratório

Função:

 O sistema respiratório é responsável por fazer a captação de oxigênio do meio para suprir as atividades metabólicas das células do corpo e remover o dióxido de carbono, resultante do metabolismo. É o responsável pela produção do som da voz.  

Descrição

Sistema Respiratório

 

O sistema respiratório é responsável por fazer a captação de oxigênio do meio para suprir as atividades metabólicas das células do corpo e remover o dióxido de carbono, resultante do metabolismo. É o responsável pela produção do som da voz.  

Nariz e cavidade nasal

O nariz é localizado no terço médio da face e é responsável pela entrada do ar nesse sistema. As suas duas aberturas são denominadas narinas, e no interior delas existem pêlos que funcionam como filtros de partículas maiores. O contorno superior do nariz é determinado pelos ossos nasais e todo o arcabouço, pelas cartilagens: laterais, alares maiores e alares menores e a do septo, que separa as narinas).

                  

Figura 1. A: nariz externo; B septo nasal cartilaginoso e ósseo. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

 

A cavidade nasal se estende desde a abertura piriforme, o contorno ósseo anterior onde se estabiliza o nariz, até o seu limite posterior, as coanas, também em estrutura óssea. A parede lateral possui projeções denominadas conchas nasais, que aumentam a superfície da mucosa de revestimento que tem componentes que permitem aquecer e umedecer o ar: é ricamente vascularizada e contém glândulas mucosas. O ar com essa qualidade favorece as trocas gasosas, nos pulmões. No teto da cavidade nasal, a mucosa tem componentes que lhe conferem uma característica sensitiva olfatória. O olfato é um dos sentidos especiais e, curiosamente complementa o paladar, uma vez que na boca, especialmente na língua, identificamos os sabores básicos: salgado, doce, azedo, amargo e unami. O paladar mais elaborado requer uma interação olfatória.

                         

Figura 2. Parede lateral da cavidade nasal com conchas nasais superior, média e inferior. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

          O palato duro determina o assoalho desta cavidade, separando-a da cavidade bucal.

 

 Faringe

É um tubo comum aos sistemas digestivo e respiratório. Suas distintas regiões se relacionam com os espaços com os quais se comunica: nasofaringe, bucofaringe  e laringofaringe.

                                

Figura 3. Faringe. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

 Laringe

Da faringe, o ar é conduzido até a laringe, que se localiza entre a laringofaringe e a traquéia. Essa estrutura é composta de cartilagens e músculos. No esqueleto de nove cartilagens, a maior delas é a tireóidea, que determina a proeminência laríngea, popularmente denominada de pomo de adão, nos indivíduos do sexo masculino.  Abaixo dessa cartilagem está a cricóide. Presa, internamente à cartilagem tireóidea, está a epiglote. Tem uma forma de folha e sua extremidade livre funciona como uma espécie de válvula que, ao deglutir fecha a laringe, impedindo o alimento adentrar ao  sistema respiratório.

Existe um par de cartilagens aritenóideas, de forma piramidal e localizadas sobre a margem superoposterior da cartilagem cricóidea. Essas pequenas cartilagens prendem as cordas vocais, que se projetam de seu vértice anterior até a cartilagem tireóide.  As cordas vocais determinam as pregas vocais, na parede da laringe e a rima glótica, entre elas. Os movimentos das cartilagens, modulando a passagem de ar produzem os sons. As cartilagens restantes, cuneiformes e corniculadas são minúsculas e contidas em pregas que partem das aritenóides para a epiglote.

       

                                              A                                              B                                                  C

Figura 4. A: cartilagens da laringe isoladas; B: cartilagens da laringe articuladas; C: laringe aberta com pregas vestibulares e vocais. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

            

Figura 5. A: músculos intrínsecos da laringe; B: posições das cordas vocais, determinadas pela contração dos músculos da laringe. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

 

Traquéia

É um tubo formado por uma série de anéis incompletos de cartilagens, em forma de C com abertura posterior. Entre esses anéis há músculo liso e tecido conjuntivo denso. Esses anéis determinam um tubo resistente e contínuo, evitando que as paredes da traquéia colabem. Na mucosa das narinas, cavidade nasal, laringe e também na traquéia e brônquios existem cílios, que se movimentam deslocando para fora as partículas estranhas e excesso de muco. O final da traquéia está na última cartilagem denominada carina que, com a projeção inferior em forma de gancho, determina uma bifurcação, para o início dos brônquios direito e esquerdo.

                             

Figura 6. Traquéia, brônquios principais e pulmonares, vista frontal e dorsal. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

Brônquios, bronquíolos e alvéolos

 

         Quando a traqueia se divide, ela origina os brônquios principais direito e esquerdo. Cada brônquio principal (ou primário) dividi-se em ramos menores, os brônquios lobares, um para cada lobo do pulmão. As divisões continuam até bronquíolos respiratórios, os quais se subdividem em ductos alveolares que terminam nos alvéolos pulmonares.

Pulmões

           Os pulmões tem forma semelhante à um cone , com o ápice pontiguado de cada um sobrepassando o estreito espaço do alto da cavidade torácica, atrás da clavícula. A base de cada pulmão é larga e côncava e descansa sobre a superfície convexa do diafragma. Uma depressão chamada hilo é encontrada na face mediastinal do pulmão. O hilo é a região onde as estruturas que formam a raiz do pulmão, isto é, brônquios, vasos sanguíneos, linfáticos e nervos entram ou saem do pulmão

                           

Figura 7. Pulmões. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed).

 

         O pulmão esquerdo apresenta uma concavidade para o coração, chamada de incisura cardíaca, na sua face mediastinal. Cada pulmão é dividido em lobos superior e inferior por uma fissura oblíqua. O pulmão direito ainda é dividido por uma fissura horizontal que delimita um lobo médio. Assim o pulmão direito tem três lobos e o esquerdo tem dois. Os dois pulmões são separados por um espaço chamado mediastino.

 

                           A                                                                                                                   B

 

Figura 8. A: pulmão direito; B: pulmão esquerdo. (Adaptado de Sobotta Atlas de Anatomia Humana 21 ed)

 

 


Órgãos