Sistema Muscular

Função:

 Dentre as principais estão: produção dos movimentos corporais, estabilização das posições corporais, regulação do volume dos órgãos, movimento de substâncias dentro do corpo e produção de calor.

Descrição

Sistema Muscular

 

O sistema muscular é constituído por um conjunto de músculos que representam a metade do peso do corpo humano. O tecido muscular possui células próprias, com diferentes funções relacionadas ao encurtamento dessas células (contração), como a locomoção, propulsão de substâncias, alteração de diâmetro de órgão e tubos e a produção de calor.

 

Músculo Estriado Esquelético

O músculo estriado esquelético se fixa aos ossos, determinando os movimentos. Sua atividade é considerada voluntária, pois controlamos sua contração conscientemente.

As células do músculo estriado esquelético são longas, com vários núcleos periféricos. As proteínas responsáveis pela contração da célula estão organizadas de tal forma que determina uma aparência estriada (listrada) ao se observar por microscópio óptico.

Há vários nomes de músculos estriados esqueléticos que refletem a sua forma ou a sua função. Um exemplo é músculo trapézio, localizado na região posterior do tronco e do pescoço, cujo nome reflete sua forma. Outros, como os extensores dos dedos, têm a função de estender os dedos centrais da mão.

                                        

Figura 1. Aspecto microscópico do músculo estriado esquelético. (Adaptado de Junqueira & Carneiro, Histologia Básica, 10 ed).

 

Músculo Estriado Cardíaco

As células musculares estriadas do miocárdio são semelhantes às do músculo estriado esquelético, porém são menores e se relacionam por junções especiais chamadas de discos intercalares.

O miocárdio se contrai ritmicamente e vigorosamente por estímulo gerado no próprio miocárdio, em locais específicos, nos nós sinoatrial e atrioventricular, considerados nossos marcapassos fisiológicos. A sístole e a diástole, contração e relaxamento do miocárdio determinam a propulsão e retorno do sangue. Mas, há ainda um controle nervoso, que pode aumentar a força e a frequência de contração do coração ou diminuir a frequência, respectivamente sobre efeito das porções simpática e parassimpática do sistema nervoso autônomo.

                                             

Figura 2. Ilustração do aspecto microscópico do músculo estriado cardíaco. (Adaptado de Junqueira & Carneiro, Histologia Básica, 10 ed)

 

Músculo Liso

A musculatura lisa é organizada por células uninucleares longas, espessas no centro e afiladas nas extremidades.  As mesmas são revestidas por uma lâmina basal e estão unidas por uma rede de fibras reticulares.

Quando observamos a estrutura do estomago e o intestino, notamos importância da musculatura lisa: é através da contração dos músculos que o bolo alimentar é movido através do sistema digestivo, que o parto normal ocorre e que o sangue percorre os vasos em uma pressão mais alta o mais baixa.

               

 

                               A                                B                                  C

 

 

Figura 3. A: Ilustração das células no músculo liso. B: fotomicrografia de músculo liso. C: ilustração da contração da célula muscular lisa. (Adaptado de Junqueira & Carneiro, Histologia Básica, 10 ed).

 

Fibras Musculares

As células musculares estriadas são conhecidas com fibras musculares. Nas fibras musculares encontramos muitas miofibrilas constituídas por filamentos de proteínas, a actina (mais fina) e a miosina (mais espessa). A contração é devida ao deslizamento dos filamentos de actina em relação à miosina, que ocorre com ligações químicas entre os filamentos, promovidas por reações que utilizam grande quantidade de moléculas de energia: o ATP, produzido pelas mitocôndrias. Por essa razão, os músculos são profusamente irrigados, para que o sangue traga oxigênio e glicose necessários para produzir a energia que gera o trabalho muscular.

               

Figura 6. Organização das proteínas no interior da célula muscular estriada esquelética. (Adaptado de Junqueira & Carneiro, Histologia Básica, 10 ed).

 

                

Figura 4. Placa motora. (Adaptado de Junqueira & Carneiro, Histologia Básica, 10 ed).

          

Figura 5. A: organização da célula muscular estriada esquelética. B; sarcômero. (Adaptado de Junqueira & Carneiro, Histologia Básica, 10 ed).

 

Distúrbio Muscular


Miastenia Gravis

A Miastenia gravis é uma doença autoimune que compromete a porção pós-sináptica da junção neuromuscular. E é causada por anticorpos antirreceptores de acetilcolina. Estes anticorpos bloqueiam os receptores de acetilcolina na placa motora da junção neuromuscular encontrada nos músculos, e causam falha na transmissão de estímulos nervosos responsáveis pela contração muscular.

A manifestação inicial da doença é de fraqueza muscular, frequentemente verificada nos músculos que movimentam os globos oculares, podendo progredir para os músculos faciais e por fim para os músculos dos membros, na forma generalizada da Miastenia gravis. O quadro de insuficiência respiratória por fraqueza muscular grave é denominada crise miastênica, e ocorre a partir de uma dificuldade em respirar, que não responde ao tratamento por medicação, sendo necessária a assistência respiratória mecânica. A doença pode agravar com esforços físicos, infecções, menstruações, ansiedade, estresse e gravidez.

Os tratamentos da Miastenia gravis têm como principais funções: aumentar a disponibilidade de acetilcolina na fenda sináptica na placa motora da junção neuromuscular, aumentando a probabilidade de fixação do neurotransmissor nos receptores remanescentes; bloquear os anticorpos através da inibição competitiva, deixando livres os receptores de acetilcolina na placa motora. A maioria dos indivíduos com Miastenia gravis tem uma boa qualidade de vida, com o tratamento.

 

 

 


Órgãos